• Gabriel Rodrigues

Segurança privada: o que é?

Atualizado: Set 2

Investir na contratação de serviços especializados em segurança pode ser uma boa para seu negócio, porque além de preservar patrimônios e assegurar vidas, existem diversos outros benefícios que a segurança privada oferece.


Quer saber mais sobre o assunto, sobre a legislação que rege tal serviço, seus principais conceitos e ainda, quem pode atuar na área? Então, continue acompanhando este post!



O que é segurança privada?


A segurança privada, nada mais é do que uma atividade relacionada a área de mesmo nome (segurança), com caráter privado e particular, que tem como objetivo assegurar às pessoas e garantir a proteção de patrimônios. Além disso, o serviço pode ser classificado em 2 tipos, armado e desarmado.


A atividade, que atua de forma complementar à segurança pública, conta com a fiscalização e autorização do Departamento da Polícia Federal. Logo, devem ser credenciadas junto ao órgão para funcionarem legalmente.


A segurança privada se subdivide em algumas áreas de atuação, sendo elas, segurança pessoal, segurança patrimonial, transporte de valores, escolta armada e cursos de formação. Sobre elas, falaremos mais adiante neste texto. Agora, vamos aprofundar um pouco mais no conteúdo e entender quais leis regem a segurança privada.

Leia também: CFTV: Significado e Guia Completo sobre o assunto

Qual legislação regula a segurança privada?


A segurança de caráter privado é regulamentada por meio da Lei 102 de 20 de junho de 1983, que estabelece sobre o serviço para estabelecimentos financeiros, estabelece suas normas para constituição e também para o funcionamento das empresas particulares que explorem serviços de vigilância e de transporte de valores, dentre outras providências.


Para executar atividades de segurança privada, é necessário atender aos requisitos a seguir: possuir curso em instituição técnica, ter Carteira Nacional de Vigilante e obter a autorização junto a Polícia Federal.


Quais são as áreas de atuação da segurança privada?


Segurança pessoal, segurança patrimonial, transporte de valores, escolta armada e cursos de formação são as principais áreas de atuação da segurança de caráter privado. E, é sobre cada um deles, que abordaremos com mais detalhes a seguir. Continue nos acompanhando e saiba tudo sobre os serviços.


Segurança Pessoal Privada


Segurança Pessoal Privada, ou simplesmente, Segurança Pessoal, é aquela voltada para pessoas que, em decorrência de seus cargos / funções, precisam deste serviço para ficarem mais seguras durante a prática de suas atividades diárias.


Segurança Patrimonial


A segurança patrimonial, nada mais é do que a segurança particular de estabelecimentos, independente se está na zona rural ou urbana ou de eventos sociais. Este tipo de serviço é indispensável para limitar os riscos, assim como a vulnerabilidade no que tange a empresas, especialmente, aquelas que possuem um investimento alto.


Transporte de Valores

O transporte de valor se refere ao trânsito de bens, numerários e valores, por meio de veículos comuns ou especiais. A atividade é instituída pela portaria n º 3.233 de 2012 que estabelece sobre segurança privada.


O principal objetivo do transporte de valores é assegurar que produtos ou valores sejam entregues em seu destino, com toda segurança possível. Entretanto, se houver incidentes no percurso como furto ou roubo, deve ser garantido o ressarcimento da empresa.


Escolta Armada


Escolta armada é também outra atividade relacionada à segurança privada que assegura o transporte de cargas ou de valor em rodovias, estradas, dentre outros. Ao contratar o serviço, a empresa contratante investe em um acompanhamento de seu patrimônio desde seu lugar de origem até seu destino.


A escolta armada é direcionada para qualquer empresa ou pessoa, independente de sua área de atuação, que necessitem transportar objetos ou valores em segurança.


Cursos de Formação


Os cursos de formação estão relacionados a atividades de instrução, extensão ou reciclagem dos profissionais de segurança privada, os quais devem ser realizadas por escolas devidamente credenciadas junto à Polícia Federal.


De maneira geral, todas as atividades relacionadas a segurança privada, estão voltadas a proteção, e devem portanto agir, observando os riscos, é claro, contra os seguintes casos: furtos, assaltos, incêndios, chantagens, sabotagens, atos de terrorismo, ações de espionagem e concorrência desleal, epidemias ou contaminações de caráter coletivo, sequestros, acidentes, explosões, desabamentos, dentre outros.

Leia também: Segurança eletrônica: guia completo sobre o assunto

Por que contratar uma empresa de segurança privada?


Terceirizar a segurança privada é uma ótima iniciativa para seu negócio, porque além de cumprir com todos os objetivos de segurança de proteger pessoas, prevenir incidentes como assaltos, furtos, roubos, sequestros, assegura também todo o seu patrimônio como um todo. Além de que ao terceirizar tais demandas, há algumas preocupações a menos, como acontece com as questões burocráticas.


Fora isso, também são benefícios da segurança privada:

  • Custos reduzidos: ao contratar uma empresa terceirizada, os gastos com contratação de profissionais e devidos treinamentos são reduzidos;

  • Disponibilidade: graças ao modelo de serviço adotado pelas terceirizadas, é fácil contar com profissionais disponíveis para atuar em campo;

  • Produtividade: maior sensação de segurança entre seus funcionários e diminuição de carga de contratação entre equipe de Recursos Humanos ou Gestão de Pessoal, tende a elevar a produtividade da empresa;

  • Preparo técnico: é a melhor forma de contar com uma segurança privada eficiente, formada por equipe altamente capacitada e treinada para trabalhar em campo.

Como vimos até aqui, sua empresa ganha muito ao investir em segurança privada. Mas, antes de concluir este texto, vamos rever alguns dos principais tópicos aqui abordados de forma resumida?


O que é segurança privada?

  • Serviço de caráter privado, que pode ser ou não, armado e que visa garantir integridade de pessoas e patrimônios como um todo.


Quais normas regem este tipo de segurança?

  • A Lei 102 de 20 de junho de 1983 dispõe sobre serviços relacionados à área de segurança privada.

  • Empresas de segurança privada devem ser credenciadas na Polícia Federal e devem ter autorização para funcionar.


Quais as principais atividades da segurança privada?


Segurança pessoal, segurança patrimonial, transporte de valores, escolta armada e cursos de formação são as principais atividades da segurança privada.


Quais são os benefícios da segurança privada?


Diminuição de custos com pessoal, disponibilidade de profissionais altamente capacitados para treinar em campo e elevação da produtividade dos funcionários de sua empresa podem ser listados como as principais vantagens da segurança de caráter privado.