• Gabriel Rodrigues

Segurança eletrônica: guia completo sobre o assunto

Atualizado: Set 2

Quando se trata de segurança, as estatísticas no Brasil e em alguns estados podem ser bastante assustadoras, principalmente, no que tange a patrimônios. Por isto, não é de estranhar que pessoas e empresas buscar meios alternativos, como a segurança eletrônica, para resguardar bens e, claro, proteger vidas.


Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (última atualização: maio/2018, Brasil), foram registrados cerca de 491 mil roubos ou furto de veículos e mais de 22 mil registros de roubo de carga. Mas, se olharmos apenas para o estado de São Paulo, dados da Secretaria de Segurança Pública demonstram o registro de 5.259 roubos e 11.981 furtos de veículos, entre janeiro e fevereiro de 2021. Com base apenas nos números apresentados, conseguimos compreender porque tantas pessoas investem em segurança eletrônica.


Mas, afinal o que é segurança eletrônica, em que consistem seus sistemas, quais são as diferença e principais vantagens em relação a segurança tradicional? É sobre este assunto que trataremos no decorrer deste post. Continue com a gente e esclareça todas as dúvidas sobre o tema.


O que é segurança eletrônica?


A segurança eletrônica, nada mais é do que, utilização de equipamentos e demais sistemas voltados para proteção de locais, bens e pessoas. Os dispositivos usados tem como objetivos principais, monitorar, dissuadir, detectar e alarmar eventos programados para cumprir com sua função, resguardar patrimônios e assegurar vidas.


Em outras palavras, a segurança eletrônica, ou segurança privada, tem como intuito prevenir ocorrências, monitorar e detectar casos suspeitos e comunicar aos responsáveis pelos sistemas, mesmo que, remotamente, sobre o fato.


Em todo e qualquer ambiente, os sistemas eletrônicos de segurança podem ser instalados, tais como casas, escritórios, comércios de ruas, lojas de varejo, escolas, dentre outros. O importante aqui é saber que existem soluções personalizadas para atender cada caso e local, em específico.


Por que investir em segurança eletrônica?


Existem diversas vantagens em investir na segurança eletrônica, tais como a vigilância constante de pessoas e patrimônio, maior facilidade em identificar casos suspeitos, solução ágil e integrada de sistemas que funciona o tempo todo, dentre outros motivos. Continue com a gente e conheça 5 benefícios deste modelo.


Vigilância permanente


Quando se trata de segurança eletrônica, uma das principais vantagens é o monitoramento permanente, em tempo real, de bens, patrimônios, locais e pessoas, o que normalmente acontece 24 horas por dia, 7 dias por semana, por meio de centrais de vigilância. Fora isto, existem sistemas mais complexos, que além de acompanhar as imagens, permitem que sejam armazenadas, para acesso futuro.


Alerta de perigo


Outro grande diferencial dos sistemas eletrônicos, principalmente, em comparação com os meios tradicionais, é o alerta de perigo em tempo real. Ou seja, por meio de dispositivos de segurança eletrônica, é possível avisar sobre algum evento indesejado na hora em que ele acontece. Sendo assim, é possível tomar as providências cabíveis e evitar maiores problemas.


E, por falar em alertas de perigo, uma grande vantagem ao se utilizar ferramentas mais tecnológicas, é evitar a ocorrência de alarmes falsos.


Redução de riscos de arrombamento e de incêndio


Com a introdução de novas tecnologias em sistemas de segurança eletrônica, comércio, casas, escolas, dentre outros, ficam menos expostos a riscos de arrombamento e incêndio. Isto acontece porque dispositivos como detectores de fumaça e temperatura e câmeras de infravermelho, conseguem detectar o perigo e alertar os proprietários dos locais assim que tais fatos se manifestam.


Integração e versatilidade de sistemas


Na segurança eletrônica, os sistemas e dispositivos trabalham de forma integrada e são acompanhados por meio de Centrais de Monitoramento. Ou seja, há uma cobertura total de locais, patrimônios e pessoas.


Aqui, vale destacar que, assim que contratada, a empresa irá fazer um estudo minucioso do local para indicar os melhores dispositivos, se são sensores, câmeras, alarmes, para resguardar o lugar e garantir maior tranquilidade a todos que ali frequentam.


Ah, além disso, os sistemas de segurança eletrônica são versáteis, o que permite que, o próprio proprietário do comércio, por exemplo, consiga monitorar o lugar utilizando o seu celular. Fora que, é possível conciliar mais de um equipamento / sistema, que tenha objetivos diferentes para aumentar ainda mais a proteção.


Menor risco de assaltos


Com avisos expostos de vigilância, é fácil inibir a ação de pessoas mal intencionadas. E, normalmente, quando há dispositivos de segurança eletrônica instalados, é comum ter placas que avisam sobre isto, logo se há alguém que queira cometer algum crime, ela ficará inibida, pelo receio de identificação.


Antes de concluir este tópico, vale a pena destacar um outro diferencial de segurança eletrônica, a redução de gastos com mão de obra humana, o que pode gerar uma economia no orçamento. Dinheiro este que pode ser investido na qualificação e remuneração dos profissionais para atuar com os equipamentos tecnológicos.


Após conhecer todas as vantagens da segurança eletrônica, vamos entender quais são e como funcionam seus principais sistemas, no próximo tópico.


Quais são os principais sistemas de segurança eletrônica?


Sensores de segurança, Centrais de Alarmes, Câmeras de Segurança e CFTV, Fechaduras digitais. Sistemas de Identificação e Sistemas de Bloqueio são algumas das principais tecnologias de segurança eletrônica que abordaremos aqui.


Sensores de segurança


Os sensores de segurança consistem em dispositivos que respondem a um certo estímulo de uma certa maneira e transformam sua resposta em uma determinada grandeza para fins de monitoramento. Em outras palavras, eles detectam informações e transmitem dados para assegurar a proteção.


São exemplos de sensores de segurança: sensores de abertura, identificam abertura de portas, janelas, dentre outros; sensores de temperatura, os quais detectam modificação de temperatura em objetos e locais em monitoramento e sensores de impacto, assim como o nome indica, identificam colisões no item em vigilância.


Centrais de Alarmes


De modo resumido, as Centrais de Alarmes nada mais são do que, literalmente, uma caixa onde ficam armazenadas placas de circuitos eletrônicos, as quais recebem e transmitem dados captados por sensores de segurança e após fazerem uma análise e diagnosticar casos suspeitos enviam os sinais de alerta.


CFTV e Câmeras de Segurança


As câmeras de segurança tem como principal objetivo capturar imagens e processá-las para enviar ao seu respectivo sistema de controle. Um dos principais sistemas de videomonitoramento mais conhecidos e utilizados é o CFTV, ou melhor, Circuito Fechado de Televisão.


O Circuito Fechado de Televisão, nada mais é do que um sistema de segurança privada, onde as câmeras de monitoramento exibem imagens de monitoramento em tempo real projetadas em um monitor, cujas gravações são restritas apenas a pessoas com permissão. Ou seja, desta forma, há um vigilante eficiente de ambientes diversos, como é o caso de prédios comerciais, lojas de ruas, escolas, casas, dentre outros.


Fechaduras digitais


Mais uma tecnologia eficiente no que se trata de segurança eletrônica são as fechaduras digitais, que substituem as tradicionais e oferecem uma sensação de tranquilidade e proteção a mais.


Uma grande vantagem das fechaduras digitais é o funcionamento simples, apenas com a introdução de uma senha, ou com chaveiros de proximidade, é possível abrir as portas. Além disso, os ambientes são trancados assim que as portas se fecham.


Sistemas de Identificação e Sistemas de Bloqueio


Por fim, vamos abordar dois diferentes sistemas de segurança eletrônica, o de identificação, o qual possibilita o reconhecimento de pessoas e objetos; e também, o de bloqueio que consiste em ferramentas que controlam o acesso e bloqueiam a entrada de pessoas não permitidas em determinado local.