• Gabriel Rodrigues

Tenho um negócio de prestação de serviços, como posso superar a crise do Coronavírus?

Nos últimos 30 dias nossas vidas viraram de cabeça para baixo, com a chegada do Covid-19, o famoso Coronavírus, nos vimos forçados a mudar nossos hábitos e ficamos com medo pelo futuro. Governos no mundo todo fecharam empresas, escolas e impuseram um regime de quarentena para a população, na tentativa de desacelerar o contágio da doença.


A pergunta que muitos empreendedores se fizeram é: e agora, como faço para manter meus clientes, funcionários e minha empresa funcionando? Com certeza será um desafio imenso. O foco deste conteúdo são as empresas de manutenção e prestadores de serviços em geral que foram ou possam ser afetados. Vamos lá? Caixa


Se você é o proprietário ou trabalha diretamente na gestão da empresa você deve acompanhar o caixa diariamente. Ele já é o rei em tempos “normais”, mas na crise ele é o motor do seu negócio. Quais pontos são importantes você observar? - Despesas fixas: salários, infraestrutura (aluguel, energia, internet, água e etc), contratos com fornecedores e etc.


- Despesas variáveis: todos as despesas que você “controla” como: cartão de crédito, investimentos, e gastos adicionais. - Impostos: todos os valores devidos ao governo. O que você pode fazer: as despesas fixas são mais complicadas, já que são compromissos de longo prazo que você assumiu com funcionários e fornecedores. Quebras de compromisso nesse sentido acarretam multas e podem acabar saindo mais caro no curto prazo. Vale a pena contactar todos os fornecedores e tentar renegociar pontos do contrato (descontos e prorrogações), já com colaboradores fique de olho nas medidas provisórias do governo, elas podem te dar um fôlego maior. As despesas variáveis são onde você pode ter uma margem para trabalhar com menos risco. Corte todas as despesas possíveis, mantenha somente o que afeta seu cliente diretamente (não perca qualidade no atendimento). O governo liberou uma série de medidas protelando o pagamento de impostos como o FGTS e as contribuições com o sistema S. Além disso quem for do Simples Nacional tem a chance de pagar os meses de março, abril e maio somente no fim do ano. Isso é um grande alívio para o seu caixa.


Projeção de receita e cenários


Faça projeções de receitas em cenários, otimistas, realistas e pessimistas.


Por exemplo: em abril sua expectativa de receita era de R$ 50.000,00. Otimista: R$ 50.000,00, você está trabalhando como se todo o valor projetado de faturamento se concretize. Realista: R$ 35.000,00, você está tendo uma previsão de queda acentuada de receita, mas um valor ainda relevante pelo tamanho do negócio. Pessimista: R$ 15.000,00, você está prevendo uma queda muito forte na receita. Desenhe um plano para cada um dos cenários e no acompanhamento diário você conseguirá saber qual deles está se desenhando no horizonte com o passar dos dias, e você pode ir tomando as ações necessárias de contingência.

Por fim, não descuide do caixa, gaste somente o necessário. Se a sua empresa está parada, não assuma nenhum compromisso de pagamento no curto prazo e renegocie o que for necessário.


Contratos com seus clientes


Os clientes são fundamentais em qualquer etapa da vida do seu negócio, mas agora, atendê-los bem é uma questão de sobrevivência. Lembre-se, eles também estão em situação difícil e irão priorizar fornecedores com quem eles podem contar. Pontualidade e qualidade deixaram de ser diferencial, só vai sobreviver no mercado de prestação de serviço quem puder entregar isso aos clientes.


Outro ponto importante sobre os contratos com seus clientes é que muito provavelmente alguns irão solicitar o cancelamento, prorrogação ou suspensão. Com isso em mente, monte planos de retenção:

  • Descontos no contrato: esteja aberto a dar descontos para que seu cliente se sinta compelido a mantê-lo como fornecedor

  • Isenções: seu cliente não tem como pagá-lo este mês? É melhor abrir mão dessa receita momentaneamente e ganhar no longo prazo do que perder tudo.

  • Prorrogações: sua empresa não pode conceder descontos nem isenções? Faz sentido colocar em prática um plano de parcelamento da fatura para que seu cliente consiga te pagar.


Venda créditos de atendimento


Outra saída bastante utilizada é fornecer créditos de atendimento aos seus clientes, dando descontos agressivos. Por exemplo: minha empresa de manutenção de ar condicionado está com negócios parados, posso dar descontos na limpeza periódica e presto o serviço quando passar a quarentena. Meu cliente ganha descontos e meu fluxo de caixa sofre menos neste momento.


Novos clientes? Sim, é possível!


Em um momento em que todo mundo está focado em reduzir despesas e manter seu negócio funcionando, você ainda sim precisa se preocupar em trazer novos clientes para sua empresa. Mas como? O primeiro passo é levantar todos os segmentos que ainda estão funcionando:


  • Farmácias

  • Supermercados

  • Distribuidoras

  • Indústrias

  • Telecoms

  • Serviços de primeira necessidade


Como você pode fornecer seu serviços de manutenção a eles? Muitos possuem sistemas de CFTV, refrigeração, geradores e etc. Faça uma lista de todos que você conseguir encontrar no Google e entre em contato. Tenha em mente que neste momento todos querem diminuir custos, ou seja, tente ser o mais competitivo possível em relação a preço.


Quando devo pegar financiamento?


Com os anúncios do fechamento do comércio, muitos empresários foram atrás de financiamento nos bancos. É um momento de manter o negócio ativo, com os empregos e fornecedores em dia. Porém lembre-se, é preciso ter cautela ao se endividar. A pergunta é: quando devo me endividar? - Pagamento de fornecedores e funcionários: são contratos que as multas possuem alto valor, então para esse tipo de pagamento é sim indicado se endividar (atenção aos juros).


- Renegociar dívidas: caso sua empresa já possua dívidas, o ideal é substituir juros mais altos por empréstimos com juros mais baratos. Por exemplo: vale a pena pegar um financiamento com taxas menores para o pagamento do cheque especial ou cartão de crédito.


- Compra de maquinários e insumos para execução do trabalho.


É muito importante se atentar sobre as taxas de juros, e não indicamos pegar empréstimos caso você não tenha uma perspectiva de melhora pós crise. Se o seu negócio já vinha mal, se endividar agora pode te dar um tempo, mas a tendência é que aumente suas dívidas e que elas fiquem insustentáveis.


Não será eterno


A crise do coronavírus por enquanto não se tornou uma crise financeira (como aconteceu em 2008), por isso a tendência é que a recuperação seja mais rápida, mas você precisa se resguardar. Use esse tempo com menos demanda para rever processos, se estruturar e focar nas coisas importantes do seu negócio. Isso será fundamental para que você volte bem ao final da crise e ganhe mercado.


Esperamos e torcemos para que você fique bem, e conte com a Auvo, em todos os momentos.


Inscreva-se em nossa newsletter

Marca-auvo.png

Conheça o Auvo
auvo.com.br

instagram-auvo.png
youtube-auvo.png
linkedin-auvo.png
facebook-auvo.png